Um erro bastante comum e que todo empreendedor deve evitar é o desconhecimento acerca dos encargos trabalhistas. Isso é, o valor real por trás da contratação ou manutenção de um funcionário.

Deste modo, deve-se ser de conhecimento de todos que o valor gasto em um funcionário não se dá somente pelo valor do seu salário.

Os encargos trabalhistas acabam influenciando no real valor de um empregado, o que faz com que um empreendedor possa fazer uma avaliação na hora de planejar financeiramente o seu negócio.

Sendo assim, caso você tenha desconhecimento sobre este assunto, o que acha de entender melhor agora? Preparamos um artigo completo sobre encargos trabalhistas e tudo o que envolve este assunto!

Portanto, acompanhe conosco e aproveite para tirar todas as suas dúvidas sobre os encargos trabalhistas e quanto custa manter um funcionário.

O que são encargos trabalhistas?

Para entender qual o valor gasto por trás tanto na manutenção quanto na contratação de um funcionário, um empreendedor precisa ter conhecimento sobre os encargos trabalhistas.

Desse modo, estamos nos referindo à benefícios que são garantidos por lei e pagos para todos os colaboradores de uma empresa.

É necessário que o empreendedor entenda, em primeiro lugar, que os encargos trabalhistas não precisam, necessariamente, ser pagos mensalmente.

Um exemplo claro disso é o 13º salário, que é pago somente uma vez ao ano para os funcionários de um negócio.

Desta maneira, o pagamento de alguns encargos é direcionado por meio do que chamamos de fundos coletivos públicos. Por mais que o nome possa soar estranho, é bem provável que você saiba do que estamos falando.

É o caso do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) e o Fundo de Garantia por Tempo de Serviços (FGTS).

Sendo assim, os benefícios não são pagos de imediato aos funcionários. Muito pelo contrário, eles são destinados em momentos específicos, que são determinados mediante normas, como na aposentadoria.

Quais os encargos trabalhistas?

Se você deseja conhecer qual o valor dos seus funcionários, é indispensável compreender quais são os encargos trabalhistas que incidem sobre eles.

Afinal de contas, estamos falando de benefícios que influenciam diretamente no valor pago por cada um dos seus funcionários.

Sendo assim, confira a seguir quais são os principais encargos trabalhistas de um empreendimento. Acompanhe conosco!

13º Salário

O primeiro item da nossa lista é o 13º salário, pago aos funcionários ao final de cada ano.

Ele pode, dependendo da política da empresa, ser dividido e pago em duas parcelas, uma em novembro e a última em dezembro.

Deste modo, todos os funcionários que completaram um ano trabalhado dentro da mesma empresa recebem um salário extra. Já aqueles que entraram no decorrer do ano, recebem de forma proporcional aos meses trabalhados.

Férias

Outro encargo trabalhista da nossa lista é o direito de tirar 30 dias de férias após completar 12 meses trabalhados. Inclusive, elas são remuneradas pelo empreendimento.

É necessário entender que o período referente às férias deverá ser escolhido quando ambas as partes, empresa e funcionário, chegarem em um acordo.

O período deve ser cumprido, de maneira obrigatória, antes que o funcionário complete 2 anos de serviços prestados.

Vale-transporte

Uma outra opção que não poderia ficar de fora da nossa lista de encargos trabalhistas é o vale-transporte, que é pago aos funcionários.

O objetivo é garantir que todos os colaboradores possam se deslocar de casa até local de trabalho e vice-versa.

Contudo, é importante ressaltar que o valor do vale-transporte acaba sendo descontado do salário bruto do funcionário em 6%.

Ausência remunerada

Para finalizar a nossa lista de encargos trabalhistas, um trabalhador pode faltar ao serviço e mesmo assim ser remunerado. Afinal de contas, existem motivos específicos que garantem que o salário seja pago sem descontos.

No entanto, é de extrema importância que a justificativa apresentada seja uma das situações listadas abaixo:

  • Doação de sangue (ausência de 1 dia);
  • Atuar como mesário nas eleições (2 dias);
  • Casamento (8 dias);
  • Falecimento de entes como pai, mãe, cônjuge ou filhos, com atestado (8 dias).

Por fim, para analisar quanto custa o funcionário de uma empresa, deve-se analisar o regime tributário escolhido por ela.

Sendo assim, as empresas enquadradas no Simples Nacional precisam pagar de encargos trabalhistas e benefícios o valor de 39,37%. Ou seja, 40% do valor do salário bruto acaba não ficando com o trabalhador.

Além disso, as empresas do Lucro Real e Lucro Presumido possuem acréscimo de alíquotas de terceiros que corresponde a 68,18%.

Conseguiu entender mais sobre os encargos trabalhistas? Para outros conteúdos assim, acesse o nosso blog e acompanhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo